Forças militares do Irã baseadas na Síria lançaram um ataque de pelo 20 mísseis contra as Colinas de Golã, norte de Israel, na madrugada desta quinta-feira (10). As sirenes de ataque aéreo foram ativadas e o sistema de defesa “Cúpula de Ferro” interceptou a maioria dos foguetes. Até o momento, não há relatos de vítimas.

O porta-voz do Exército de Israel disse que as Forças Quds da Guarda Revolucionária Iraniana foi a responsável. Israel revidou, atacando posições sírias nas proximidades. O Exército de Israel enxerga o episódio com “com grande severidade” e que está preparado para “uma ampla variedade de cenários”.

Segundo o Times of Israel, os moradores da região ouviram explosões barulhentas e repetidas e procuraram os abrigos antiaéreos.

Imagem de câmeras noturnas dos foguetes sendo interceptados (Foto: ATEF SAFADI)

Retaliação imediata

Esta foi a primeira vez que Israel atribui um ataque diretamente ao Irã. O número de foguetes contra território israelense foi o maior ataque nos sete anos da guerra civil na Síria.

Imediatamente após o ataque iraniano, perto das 12:10 da manhã, horário local, a mídia estatal síria informou que a artilharia israelense atacou um posto militar perto da cidade de Baath, na região fronteiriça de Quneitra.  Aproximadamente uma hora e meia depois, a agência de notícias al-Manar, ligada ao Hezbollah, informou que as defesas aéreas do exército sírio estavam respondendo a um ataque aéreo israelense contra um alvo a sudoeste de Damasco.

O bombardeio ocorre na mesma semana em que o presidente Donald Trump, anunciou a retirada dos Estados Unidos do acordo nuclear do Irã. Desde o início desta semana, Israel vem afirmando que havia “atividades anormais” na região por parte das forças iranianas e colocou suas tropas em alerta máximo.

Assista reportagem da CNN sobre os ataques:

Fonte: Gospel Prime

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.